Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail to someoneshare on Tumblr

“A questão sobre aquilo que quer possuir é realmente a questão de como quer viver a sua vida”

–Marie Kondo, The Life-changing Magic of Tidying Up

A autora do best-seller do New York Times Marie Kondo, reconhecida como sendo a “mulher mais organizada do mundo”, construiu um império ensinando as pessoas de todo o mundo a mudar as suas vidas, reduzindo a desordem que o polui. No seu livro Spark Joy, ela sugere um método único para determinar o que manter e o que deitar fora: basta segurar o artigo em questão perto do seu corpo e perguntar a si mesmo: “Será que esta alegria brilha?” Se não, ele deve ir diretamente para o lixo.”

Não é de espantar que Kondo tenha recebido aclamação internacional – nós vivemos em épocas dificeis e esforçamo-nos para tornar os nossos ambientes menos complicados. Estamos sobrecarregados pelo volume das coisas que possuímos – acumulando demasiados bens que às vezes não conseguimos lembrar-nos aquilo que já temos. É um hábito tão universal que toda uma indústria comercial desenvolveu, a fim de ajudar as pessoas a organizar os seus espaços de vida e dispor de coisas que já não precisam. Kondo e os seus colegas aparecem em talk shows, dão formação e dominam a lista de best-sellers, lembrando-nos que uma casa arrumada é uma casa feliz.

Apegarmo-nos às coisas de que já não precisamos é muitas vezes um resultado de consumir muito. Nós possuímos muito e não somos mais felizes por isso. Estamos também muito ocupados e distraídos para nos livrarmos do velho e, desta forma, abrir espaço para o novo. É por isso que encontramos os nossos armários cheios de roupas que estavam na moda na década anterior, ou que ainda temos o calendário de 2015 pendurado na nossa parede. Mas ter tempo para olhar ao redor da sua casa e remover a desordem tem mais benefícios do que apenas fazer a sua própria vida mais fácil; Também pode fazer a diferença na vida dos outros.

Deitar coisas fora pode ser um passo difícil de tomar, devido ao sentimento irritante que,  embora determinado bem possa não ter utilidade ou uso agora, pode mais tarde vir a ser necessário. Preocupações sobre o meio ambiente e os nossos aterros sempre em crescimento também podem incomodá-lo. Todas as pessoas estão cientes da existência de lojas de produtos em segunda mão. É muito possível que já tenha começado a fazer uma pilha de coisas para oferecer, assim que tenha algum tempo livre. Infelizmente, uma vez que oferecer algo a um desconhecido anónimo é um conceito abstrato, é fácil esquecê-lo e continuar a adicionar coisas à referida pilha.

É por isso que é inteligente dar pessoalmente as coisas. A cadeira da sala de jantar incompatível que deposita num canto acumulando poeira, pode realmente ser apreciada como uma cadeira de mesa para um estudante que começa a universidade. Talvez se tenha apegado à camisola roxa de tamanho grande, mesmo que não seja a sua cor ou o seu estilo, e ela ficaria muito melhor como um vestido para a filha do seu vizinho. Ou talvez essa pilha de revistas que tem guardada para um dia de preguiça que nunca virá, seria extremamente bem-vinda ao professor de arte da escola que está a realizar uma aula sobre colagens. Se tiver em consideração outras pessoas enquanto se organiza, não só se sentirá mais satisfeito quando olha em redor da sua casa recentemente arrumada, como também se sentirá bem em ajudar alguém que necessita.

Desta forma, pode pôr em ordem o ambiente que o rodeia e elevar a sua alma.

Este post é o número 6 de 10 formas de tornar-se a melhor versão de si mesmo. Descubra outras formas de trazer mais saúde, felicidade e paz de espírito à sua vida aqui.

This post is also available in: Inglês Holandês Espanhol Francês Alemão Sueco

Related posts

Leave a Comment

Error: Please check your entries!