Gostava de lhe poder dizer que vivemos num mun-do perfeito. Mas estaria a mentir. A verdade é que, embora a humanidade tenha percorrido um longo caminho em termos de avanço tecnológico, esta não é a nossa melhor hora. Ainda lutamos contra a guerra, doenças, fome, corrupção, racismo e desigualdade no mundo, e parece que milhares de anos de civilização nos ensinaram muito pouco sobre sermos humanos. Vivemos tempos de grande ansiedade de facto.

Em maio, levei as minhas filhas a um concerto da Ariana Grande em Amesterdão. Elas andaram ansiosas pelo evento durante semanas e foi absolutamente fantástico. Mas apenas uns dias mais tarde, depois do concerto da estrela pop em Manchester, um terrorista detonou uma bomba na multidão que se ia embora. Vinte e duas pessoas inocentes perderam as suas vidas nessa fração de segundo.

Abanou o meu mundo pensar que podíamos ter sido nós a sair do estádio, sem preocupações e felizes. Ainda mais aterrorizante é o facto de poder acontecer em qualquer lado, em qualquer altura e em qualquer sítio. Esta crueldade chocante serve apenas para dividir e endurecer o coração das pessoas, causando medo e desconfiança – que é como o ódio prospera. Mas a onda de apoio e cuidado de completos estranhos após o ataque mostrou que a bondade, também, está à nossa volta e que temos uma escolha na forma como reagimos.

Devemos fechar os olhos ao sofrimento de estranhos e viver com medo? Ou celebramos a vida, a beleza da sua diversidade, e fazemos da generosidade e da compaixão a nossa prioridade? Somos todas pessoas diferentes, mas o coração humano apenas deseja uma coisa simples: amar e ser amado.

Nesta edição da nossa revista, esperamos inspirá-lo a viver com um coração aberto. Apresentamos pessoas que abriram o seu coração altruistamente aos outros, pessoas que fazem a diferença ao dar incondicionalmente. Porque dar é mais do que um luxuoso presente embrulhado em papel – trata-se de criar uma conexão, é o luxo de uma experiência positiva, é a ponte entre si e um mundo diferente.

Então, se existe algo que queira oferecer a alguém nesta época festiva, deixe que seja uma experiência inesquecível. Deixe que seja uma memória. Deixe que seja o perdão, o seu tempo e atenção. Mas acima de tudo, deixe que seja um presente de coração gentil e aberto.

Raymond Cloosterman
Founder & CEO Rituals Cosmetics

This post is also available in: Inglês Holandês Espanhol Dinamarquês Francês Alemão Norueguês Sueco

Leave a Comment

Error: Please check your entries!